quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Panettone Milanês / Tradição Natalina



"Panettone" vem do Pan de Toni  diminutivo de Antonio, um  humilde aprendiz da cozinha da corte de Ludovico Il Moro ,Duque de Milão  no final do XIV. Este aprendiz foi o inventor da mais característica e  tradicional sobremesa natalina italiana.

Ludovico Sforza, Duke of Milan. Sforza Altarpiece
Reza a lenda, que numa noite de comemoração natalina, Ludovico ordena ao cozinheiro da corte preparar um suntuoso jantar de Natal,no qual toda nobreza estava convidada, porem o cozinheiro esqueceu o bolo principal queimando ao forno! Nesta hora o jovem Toni, seu ajudante remedia a situação ao preparar uma nova receita com os restantes ingredientes da despensa: Farinha, manteiga, ovos, raspas de limão e passas. O cozinheiro concordou e, tremendo, atrás de uma cortina vai espiar opiniões dos convidados.Todos inclusive o Duque de Milão queriam saber o nome e origem desta iguaria!!! O cozinheiro revelou o segredo: "Este é" o pão de Toni.” Desde então, ele é o "pão de Toni", ou o "Panettone".


Outra lenda mais popular um pouco mais romântica, fala de um jovem que, apaixonado pela filha de um padeiro que estava a beira da falência, consegue um emprego na padaria do pai da amada e para aumentar as vendas inventa um pão doce feito a base de farinha, ovos, manteiga e frutas cristalizadas. O pão é um sucesso, as vendas aumentam o padeiro não fecha e dá a filha em casamento ao jovem.


Em Milão até 1900 eram numerosos os padeiros e pasteleiros  que produziam o panettone, hoje em dia, existem grandes empresas industriais de panettone, eles são enviados a todos os lugares. Mas ainda permanecem em Milão, que produzem panettone na receita tradicional. 
Desde a década de 50 do século XX ,se espalhou produção industrial de panettone pela Organizzada Grande Distribuzione, especializada em exportação no exterior. A Câmara de Comércio de Milão tem registrado uma marca que certifica que o Panettone é um produto artesanal, os ingredientes especificados, são citado por confeiteiros do Comitê de Milanese, composto por representantes da categoria associações da indústria e um representante dos consumidores. A Câmara de Comércio de Milão também tem registrado marca  em 10 de abril de 2007, intitulado "bolo típico da tradição artesanal em Milão", que atesta que o Panetone é produzido de forma tradicional. Ele é exportado como um símbolo doce do Natal em muitos países. 


Na Itália o panettone das principais marcas industriais é encontrado nos supermercados mas os panettones das famosas confeitarias espalhadas por Milão são uma obra de alquimia artesanal. Durante todo ano é possível encontrar o Panettone nestas confeitarias.

Peck
Via Spadari, 9
 



Pasticceria CovaVia Montenapoleone, 8nar legenda

Pasticceria Marchesi
Via Santa Maria della Porta, 11
Pasticceria Cucchi
Corso Genova, 1

Qual é a melhor combinação para um Panettone Milanês? Duas sugestões se você estiver na Itália: Malvasia Colli Piacentini 

e Barone Pizzini Franciacorta.



Tradição  do Panettone San Biagio.




Em Milão, é tradição para preservar uma parte do bolo comido durante o almoço de Natal, e depois comer jejum em 3 de fevereiro, dia da festa de St. Biagio, como um gesto preventivo contra os males da garganta e resfriados. Neste dia os lojistas com o estoque não vendido dos panetones é colocado em  oferta mais barato. Sao os chamados panettone de São Blaise, o último remanescente do período festivo.










Edicao de texto
Leila Bumachar

Fontes de pesquisa e fotos:
www.flamigni.it/le-passioni/la-storia-del-panettone
www.treccani.it/enciclopedia/percorsi/tecnologia_e_scienze_applicate
la-leggenda-del-panettone-quando-e-come-nasce-il-dolce-natalizio-di-milano
wikipedia.org/wiki/Panettone